FANDOM


Shaytan
ShaytanAva
Arquétipo Dominador do Mundo
Afiliação Culto dos Condenados (líder)
Linha do Tempo 5900 (história)

6002 (Arco II)

Raça Humano
Sexo Masculino
Idade 102 anos (Arco II)
Status Vivo, banido.
Relativos Liguria (ex-namorada)

Doppel (segunda personalidade)

Veja também: Doppel

Shaytan é o antagonista principal dos eventos que ocorrem durante o Arco II no cenário Grey Avalon do Dragon Fantasy Saga RPG

Ele também é o líder atual do Culto dos Condenados e inimigo pessoal de Feanor. Atualmente está banido da realidade e encontra-se preso em uma prisão próxima do centro do planeta.

AparênciaEdit

Shaytan é um humano bem alto (cerca de 1,90 m) com uma aparência de um homem forte e com músculos bem definidos. Sua aparência permite chutar que ele tem por volta de 31 anos, quando na realidade ele tem mais do que isso.

Ele tem um cabelo vermelho com pintas pretas, comprido o suficiente para chegar até a sua cintura. Seu couro cabeludo é partido numa espécie de ziguezague.Suas pupilas são negras e a íris de seus olhos é fragmentada em suas bordas, geralmente tendo um brilho triangular apontando ao seu centro. Esses olhos comumente aparecem quando Shaytan intervém na personalidade dócil de Doppel.

Ele também possui tatuagens enredadas entre seus ombros e punhos, fazendo com que pareçam se fundir com a mecha negra no topo do ombro. Shaytan também usa calças ajustadas de cor roxa ou azul escuro, com alguns botões em formato de triângulos invertidos na altura de seus quadris e no fim das pernas. Além disso, usa um par de sapatos simples sem meias.

Suas aparições iniciais são geralmente dadas por uma larga sombra que mostra apena sua silhueta e seus cabelos esvoaçantes.

HistóriaEdit

Prólogo e anos de juventudeEdit

Shaytan nasceu no leito de uma família relativamente rica e de alto poder social em 5900 no vilarejo Sathrala. Ainda na maternidade, ele fora roubado por uma enfermeira desesperada que não podia ter filhos. A enfermeira colocou um bebê que havia falecido no mesmo dia no lugar de Shaytan e ninguém desconfiou de seu crime, uma vez que ele havia nascido prematuramente.

Sem conhecer seus pais verdadeiros, Shaytan foi criado pela enfermeira, que faleceu quando ele tinha somente 4 anos de idade devido inúmeras doenças venéreas e outras complicações. A enfermeira havia sido vítima de um estupro violento por bandidos da cidade, e Shaytan assistiu o evento horrorizante de perto. O choque da cena começou a mudar a personalidade dele de forma permanente, e o caso só se agravou quando ele mesmo foi pego pelos e espancado pelos mesmos bandidos. 

Em seu leito de morte, a enfermeira é avistada pelo padre local, Orzo, que tenta ajudá-la mas não obtém sucesso. A mulher então confessa ao pastro o que havia feito com Shaytan e conta sua real origem, pedindo que Orzo desse algum trabalho ou moradia para o menino até que ele pudesse ficar maior. Horrorizado com a situação, o pastor aceitou o último desejo da enfermeira e guardou aquele segredo consigo. Tempos depois, Shaytan passou a trabalhar com o padre na igreja e nos campos de trigo afastados da cidade.

Um velho recomeçoEdit

Ao atingir seus 14 anos, Shaytan conheceu uma rica menina da cidade que sempre ia visitar o padre para se confessar, junto de sua mãe. Liguria, a menina em questão, passou a observar Shaytan e rapidamente os dois se tornaram bons amigos. Tempos depois, os dois começaram a namorar.

A relação foi acontecendo secretamente, mas o que Shaytan não sabia era que Liguria era na verdade sua irmã biológica, na qual fora separado ao nascer. Ao perceber e saber disso, Orzo ficou horrorizado e sentindo-se culpado por permitir a relação incestuosa que não era de conhecimento dos dois jovens. Sem saber como agir e transtornado com aquele segredo, o padre pediu favores para alguns mercenários que protegiam suas terras, ordenando assim que os dois fossem separados mas que não machucassem Liguria.

Os mercenários então começaram a tramar uma separação do casal, atendendo o pedido do padre mas sem entender os motivos. O bando começou a fazer investigações e a ouvir secretamente o próprio padre, que tinha costume de falar sozinho, e então descobriram a verdade.

Enojados com a história, os mercenários se disfarçaram de bandidos e atacaram Shaytan e Liguria, espancando o jovem até ele ficar inconsciente, jogando-o pra baixo de uma colina. Liguria, desesperada é liberta pelos bandidos que vão embora satisfeitos e dizem para ela não se envolver mais com ele. A jovem encontra o corpo dele e tentou reanimá-lo, mas não sentiu seu pulso (devido ao estado de Tanatose) e então, incapaz de suportar a perda de seu amado, Liguria come alguns cogumelos próximos que eram venenosos e cai morta ao lado de Shaytan.

Ascenção da loucuraEdit

Quando os ferimentos de Shaytan já haviam melhorado e a noite tinha chego, ele acorda e vê o corpo de Liguria inerte e frio. Adicionando mais frustrações e instabilidades emocionais e psíquicas, Shaytan vai atrás de vingança contra os mercenários e por dias passou observando seus comportamentos e rotina, vendo também que eles conversavam com o padre Orzo. Furioso, Shaytan liga os pontos e entende o motivo disso tudo ter acontecido, e então num lapso de raiva incontrolável, ele decide acabar com a vida de todos que lhe causaram mal. 

Ao ficar descontrolado, Shaytan passa a ter uma instabilidade mental muito grande que pra sempre rasgariam sua personalidade em duas partes. Algumas semanas depois, Shaytan ateou fogo na igreja e no vilarejo inteiro em pontos estratégicos onde o fogo se alastrava com maior facilidade. Não obstante, ele roubou minas explosivas usadas pelos guardas locais e colocou-as nas fronteiras do vilarejo, além de envenenar o poço de água da cidade inteira. Dessa forma, aqueles que não morreram queimados, foram explodidos ou envenenados, não sobrando um habitante sequer na região.

Com o fim dos eventos, Shaytan desapareceu da região e guardou uma imensa mágoa, raiva, tristeza e loucura dentro de si mesmo. Ele partiu em direção ao sul de Grey Avalon com o objetivo de controlar tudo e todos, mostrando que era mais forte que qualquer pessoa ou criatura viva que tentasse novamente derrotá-lo. Durante anos ele viveu como um andarilho recluso que aprendia estilos de luta diferentes, coletando artefatos, escrituras e aprendendo novos segredos todos os dias.

Vida adulta e o reinado do terrorEdit

Chegando no sul de Grey Avalon, Shaytan adentrou as ruínas de Avalon , um local estritamente proibido e de difícil acesso devido as barreiras naturais, mágicas, desafios e criaturas poderosas. Shaytan seguiu pelas ruínas e encontrou escrituras e livros sobre a Guerra Negra, passando um tempo estudando a origem e o poder dos Dahakins.

Em pouco tempo, Shaytan penetrou nas defesas naturais do local, passou por monumentos lendários e chegou à cidade perdida, sendo a única pessoa viva dentro das ruínas. Em certo momento, várias vozes em sua cabeça  e uma forte presença tentaram tirar seu controle, mas não conseguiram. Aproximando-se de um túmulo que chamava por seu nome, Shaytan libertou o poderoso espírito de um Dahakin que entrou em seu corpo e aumentou sua força, sintetizando sua dupla personalidade muito mais do que antes e permitindo que ele ganhasse força e habilidades sobrehumanas. O espírito então coordenou Shaytan, que libertou outros Dahakins e fundou uma liga de assassinos para aterrorizar e dominar Grey Avalon.

Eventos predecessores ao Arco IIEdit

Após um tempo causando destruição e manipulando regiões, Shaytan retorna ao norte de Grey Avalon e vai em direção as Terras Ermas. Devido à sua mente fragmentada e a possessão do Dahakin, Shaytan não era mais um ou outro, mas sim uma mistura dos dois que gerou uma mente mais perturbada ainda. Ao buscar por mais poder, eventualmente o viajante soube da existência e da fama de Ashkore. Interessado em dominar a criatura, ele mobilizou forças e ordenou que seus assassinos fossem atrás da criatura e matassem todos em seu caminho.

Pouco a pouco, os Dahakins foram eliminados pelo elfo Feanor e seus aliados que haviam derrotado o dragão negro. Num confronto final, Shaytan aparece diante do elfo e seu grupo, eliminando grande parte deles e travando um conflito intenso contra quem no futuro tornaria seu nêmesis. Shaytan estava prestes a triunfar, quando uma forte luz emergiu de Feanor revelando a deusa Gwenhwyfar. Com a força renovada, o elfo então venceu e baniu Shaytan que não parecia poder morrer, para o centro da Terra.

Arco II (6002)

Shaytan faz sua aparição inicial, e muitas outras sucessivas, na forma de uma silhueta sombria com cabelos longos ao vento e profundos olhos vermelhos / dourados que exalam raiva. Na primeira aparição, Shaytan é visto sendo libertado de dentro de um vulcão que mais tarde seria o hospedeiro do Castelo Morkror, por cultistas do Culto dos Condenados. O vulcão funciona como uma espécie de portal para o centro da terra, onde Shaytan estava preso e banido.

A grande influência de Shaytan dá-se pelos comandos das missões que os Arcanos Corrompidos e o General Drakkius executam através da saga. A ressurreição de Ashkore é um ponto marcante, onde o guerreiro consegue acessar o domínio sobre a poderosa criatura que tanto queria antes de ser banido pela primeira vez.

Uma figura presente, mas também ausenteEdit

Durante vários eventos a silhueta dele é vista ordenando seus subordinados em missões para atacar cidades, coletar artefatos e após os eventos da Batalha por Feywall, manda seus servos e soldados em busca dos amuletos dos clãs. Shaytan também ordena e controla Ashkore sobre algumas missões e eventos especiais, fazendo com que o indomável dragão não passe de um mero servo.

Shaytan faz aparições diretas para o grupo de heróis em alguns momentos, mas não na sua forma adulta.

A última luta, por enquanto

O poderoso líder do culto faz sua aparição direta no episódio 24 do arco, revelando-se ser Doppel e Shaytan ao mesmo tempo. Sua demonstração de força e poder assusta o grupo de heróis, na medida em que ele rapta Kouryuu e leva-o para o interior da sala do trono no Castelo Morkror.

A batalha final contra Shaytan acontece duas vezes: na primeira os heróis não são capazes de vencer suas habilidades de manipulação temporal e força super-humana, e acabam falecendo um após o outro com a inclusão de Feanor. A fúria incontestável dele acaba por executar Kouryuu e abrir um portal dimensional para O Plano Acima, onde Shaytan pretendia matar a deusa Gwenhwyfar.

Trazidos de uma dimensão paralela, os heróis acessam o portal que o corpo de Kouryuu havia criado e novamente enfrentam Shaytan, dessa vez em um plano diferente do mundo real. Por não ter controle das variáveis do tempo e espaço em um plano onde ele não está acostumado, Shaytan acaba perdendo boa parte de suas habilidades, retendo apenas as habilidades físicas contra os heróis que são guiados pela deusa.

Shaytan por fim, é derrotado (mas não é morto) mais uma vez e banido para o centro da Terra novamente, jurando vingança contra Feanor e todo o mundo na próxima vez em que for liberto. 

PersonalidadeEdit

Veja também a personalidade de: Doppel

Shaytan é retratado como uma pessoa com uma personalidade muito cruel e visceral. Ele não gosta que ninguém veja seu rosto verdadeiro, temdp como prioridade caçar e eliminar alguém que o tenha feito, independente de quem seja. Ele seria capaz até mesmo de matar sua própria família apenas para parar a possibilidade da sua identidade ser descoberta, e isso pode ser visto parcialmente com a crescente obsessão que ele demonstra ao eliminar todas as pessoas do vilarejo em que morava, mesmo sem saber que seus pais biológicos ainda eram vivos. 

A posição de Shaytan no Culto dos Condenados como "O Chefe" é altamente respeitada por todos os membros e subordinados, principalmente pelo fato de que Shaytan ajudou e deu poder à aqueles que o procuravam. Nenhum dos membros de seu culto em momento algum cogitou traí-lo ou revelar sua localidade, o que também demonstra que ele sabia ser carismático e fisgar os interesses das pessoas para torná-los leais.

Shaytan não perdoa traidores entre seus subordinados e rapidamente coloca recompensas dentro da própria organização para que seus servos cacem e matem quem tentar traí-lo. Isso é visto quando Kenzo e Iriz acham e encontram Pigli e facilmente matam-na por trair o culto.

Uma de suas principais motivações é "vencer seu passado" e mostrar para o mundo que ele pode ser o ser mais forte e influente de todos, mesmo sem se revelar pessoalmente. Por não ter nenhum parente ou relativo vivo, Shaytan não cai em chantagens emocionais ou jogos de reféns facilmente, tornando-o invulnerável à qualquer tipo de dano emocional.

Em alguns momentos de sua história, Shaytan teve sua mente fragmentada e personalidade estilhaçada por conta de eventos traumáticos. Um dos eventos foi o estupro de sua "mãe" (a enfermeira) e a consequente morte da mesma, enquanto outro fora a morte de sua namorada, Liguria. Nesses momentos, Shaytan aprofundou mais ainda seus traumas e instabilidade emocional / psíquica, desenvolvendo uma espécie de transtorno dissociativo grave, fragmentando também sua personalidade em duas. Shaytan é tido como a personalidade dominadora, enquanto Doppel é a mais fraca e submissa.

A personalidade e o transtorno de Shaytan se agravam ainda mais quando o Dahakin tenta possuir seu corpo. Devido à falta de uma mente e emoções organizadas, a criatura fica impossibilitada e acaba sendo "engolida" pelo próprio corpo de Shaytan, sendo assim, associado e anexado à personalidade já fragmentada antes.

Shaytan não demonstra compaixão com ninguém, nem mesmo seus subordinados mais próximos. Esse traço egoísta acaba voltando suas prioridades única e exclusivamente para os próprios interesses e crescimento pessoal. O traço de egoísmo pode ser visto na forma que ele trata sua própria personalidade secundária, onde não esboça nenhum tipo de afeição ou preocupação.

Habilidades e PoderesEdit

Shaytan possui alguns poderes marcantes e bem icônicos. Entre eles:

Imenso poder ofensivo físicoEdit

Shaytan é capaz de quebrar prédios e montanhas com um soco, além de possuir uma força sobrehumana.

Um exemplo da força de Shaytan é o horrendo ferimento que o mesmo causou em Galtel Quisling apenas ao dar um soco em seu peito, atravessando seu corpo por completo num golpe brutal. Dessa forma, sua mão quebrou ossos, rompeu veias e danificou órgãos como se o corpo da vítima fosse feito de gelatina.

Capacidade de apagar o tempoEdit

A habilidade mais icônica de Shaytan, de uma forma simples de ser explicada: é a capacidade de pular o tempo. Explicado mais detalhadamente, ele consegue deletar cerca de 10 segundos no fluxo do tempo para a realidade normal e durante esse tempo, ele pode se mover, predizer e atacar diretamente outras pessoas.

Nenhuma criatura viva no mundo consegue se lembrar ou experienciar o tempo apagado. Coisas como os ponteiros de um relógio, pássaros voando, ondas no mar, parecem se teletransportar e as pessoas parecem esquecer o quanto elas já leram de um livro naquele momento.

A fraqueza disso é que Shaytan precisa estar muito próximo dos alvos afetados, tendo também uma baixa durabilidade física no geral (quando atingido). Nesses casos, usar o poder para eliminar múltiplos alvos podem fazer com que alguém descubra o funcionamento de seu poder.

Para Shaytan, se mover enquanto deleta o tempo parece como uma espécie de teletransporte para quem olha de fora. A natureza desse poder, explica situações como uma bala que com toda certeza acertaria Shaytan na cabeça, repentinamente será desviada para o outro lado como seria segundos mais tarde.

Predição do tempoEdit

Originária da segunda personalidade de Shaytan, essa habilidade dá uma prévia à ele do que irá ocorrer nos próximos 10 segundos do tempo, permitindo que ele reaja e defenda-se de forma apropriada. Como dito explicado durante as sessões, não importa qual seja a predição de Shaytan, ela não pode ser prevenida.

Esse efeito se mostrou incapaz de funcionar no Plano Acima, devido ao uso e funcionamento diferente do tempo lá. Regras normais de contagens de segundos, minutos ou anos são totalmente diferentes e irregulares, anulando assim, as habilidades de Shaytan em apagar e predizer o tempo.

Reflexos na velocidade da luzEdit

Shaytan demonstrou possuir reflexos e manobras muito rápidas, mais rápidas que a velocidade de um pensamento ou da própria luz. Isso é ampliado ainda mais com o uso dos efeitos da predição do tempo, mas, normalmente ele já possui um alto reflexo à golpes.

CuriosidadesEdit

  • O nome "Shaytan" significa Devil, ou Diabo em islâmico. Sua pronúncia lembra também o nome "Satã". A origem do nome vem de Iblis, o principal demônio do Islão. O significado mais literal de Iblis pode ser traduzido no vocabulário arábico como "aquele que causa desespero". Ele aparece mais freqüentemente no Corão como Shaitan, um termo usado para se referir a todos os espíritos malignos que o auxiliam, mas que é comumente usado para se referir apenas a Iblis. Iblis é mencionado 11 vezes, e Shaitan "al-Shaitaan" ‏(الشيطان) 87 vezes. Ele é o chefe dos espíritos do mal (Shaitan), e sua personalidade é similar ao do Diabo na cristandade. Na verdade, os demônios são os mesmos no Cristianismo e no Islamismo. Só há diferença de nome, que em árabe é Shaitan ou Iblis, esse último, mais poderoso. 
  • Shaytan é o segundo personagem das campanhas oficiais à ter algum poder que envolve uma manipulação forte do tempo, sendo o primeiro Galtel Quisling.
  • No cenário de Grey Avalon, Shaytan foi o primeiro vilão à matar completamente todos os heróis principais com sucesso em um combate. No Dragon Fantasy Saga ele é o segundo (teoricamente), onde o primeiro foi Magnus no cenário Elysium.

Galeria de arteEdit

Ad blocker interference detected!


Wikia is a free-to-use site that makes money from advertising. We have a modified experience for viewers using ad blockers

Wikia is not accessible if you’ve made further modifications. Remove the custom ad blocker rule(s) and the page will load as expected.