Fandom

Dragon Fantasy Saga Wiki

Lista de Episódios - Arco II (Grey Avalon)

548pages on
this wiki
Add New Page
Comments0 Share
Guia-de-episódios

Episódio 1 - O despertarEdit

Resumo: A introdução fala brevemente a respeito de temáticas e mensagens que o Arco II deste cenário poderão evocar durante sua duração, para em seguida começar de fato em São Paulo (capital), mais especificamente em carro preto que levava Lisa Alves para o que mais tarde seria revelado por ser o Instituto Sagas. Lisa vai pensativa durante a viagem e ao chegar no instituto, começa a conversar com uma "voz em sua cabeça", que a questionava do por quê ninguém acreditar que "ele" existia. A garota é então interrompida por assistentes que trazem o terapeuta dela para a sessão do dia, esse por sua vez, revela-se ser Kazuya Minamino (um dos personagens do Arco I). Kazuya revela que naquele dia a terapia seria "diferente" e eles precisariam encontrar algumas pessoas antes. Lisa concorda e ambos seguem pela cidade.

Em seguida, temos várias cenas fragmentadas introduzindo os personagens do plano real, que estão ligados de alguma forma; Rubens sai de sua faculdade após um exaustivo dia e vê a silhueta de um andróide (representando seu alter-ego) e resolve seguí-lo para investigar mais; Eric sai de um café e vê um enorme rastro de sangue pelas ruas (representando o arquétipo de seu alter-ego); Pedro vê uma larga criatura que se assemelha à um lagarto azulado andando pelas ruas (representando a raça de seu alter-ego). Enquanto isso, Lisa e Kriz se reúnem no alto de um prédio e observam enquanto os outros citados anteriomente se reúnem inconscientemente num beco escuro, onde são envolvidos por uma larga redoma de sombras criada pelo próprio Kazuya, para adormecê-los e fazê-los entrarem em contato com seus alter-egos.

Indo em direção aos anos 6002, especificamente em Grey Avalon, uma cena é vista com cultistas se reunindo ao norte do continente, nas proximidades de Askhalot, onde fazem um macabro ritual de liberação de alguém que não é revelado até então, mas parece ser o chefe do culto. O chefe, por sua vez, ordena que os cultistas "tragam o dragão" até ele.

Pouco depois, mais espeficiamente no pacato vilarejo de Chama d'Oeste, várias pessoas e os heróis desta história se reúnem pelo destino numa taverna chamada "Barril Azul". Ali, os personagens Chrome, Hilde, Lessien, Kraashi, Bardus e Sorin são apresentados. Chrome estava no bar da taverna, observando as pessoas e sendo a atração da cidade há alguns dias desde que tinha chego ali por conta de um acidente que teve ao cair em uma armadilha e fora ajudado por caçadores locais. Lessien trabalhava como cozinheiro da taverna e aparentemente morava com sua irmã, Hilde no vilarejo, onde esta carregava e ajudava na taverna de forma geral. Sorin (El'Zel) estava na cidade por motivos pessoais, em busca de alguém relacionado ao seu passado. Bardus, um alto e confiante jorn que havia ouvido rumores sobre uma estranha besta nas redondezas, resolveu investigar por motivos também relacionados ao seu passado.  Por fim, Kraashi estava em busca de comida e abrigo para continuar suas aventuras e acabara chegando no vilarejo também.

Eventualmente, os heróis (ainda sem se conhecerem) se alimentam e se divertem, Bardus em especial com uma competição de bebidas amigável entre um anão, um jorn e um humano, onde acaba perdendo e não levando o prêmio de 400 moedas de ouro. Entretanto, a partir de certo momento, três templários de uma organização conhecida como "A Ordem" entram na taverna em busca de comida fresca e descanso. Hilde percebe a presença dos três (sendo eles o Capitão Relgheim, a Inquisidora Johanna e o Templário Rust) e pega Lessien para fugirem dali, saindo pelos fundos da taverna. 

Enquanto isso acontecia, cultistas invadiam a cidade e começavam a assassinar civis e guardas, usando seus corpos e sangue para um ritual macabro, formando um pentagrama tamanho família em volta da cidade. Pouco tempo depois, os cultistas invadem a taverna e matam o taverneiro, Gauwyn que até então tinha se mostrado amigável. O confronto entre os cultistas acontece, tendo a presença de Kraashi, Sorin, Bardus e Chrome como vitoriosos. Do lado de fora da taverna, entretanto, Hilde e Lessien são abordados por um misterioso Zahari chamado Gamil , que mais tarde revela ser um procurado da Ordem por ter atacado civis e caçadores de forma descontrolada devido aos seus poderes.

Hilde e Lessien decidem ajudar e proteger Gamil, enfrentando os templários da Ordem e consequentemente se incriminando mais. Gamil eventualmente cria um encantamento de ar que os joga para longe dali, mas ainda dentro da cidade onde suas forças permitem. Nesse momento, todo o grupo se reencontra e o chão da cidade treme com forla, sendo engolido para o fundo e fazendo que uma grande fissura se abra no meio do vilarejo. De lá, um enorme dragão negro não identificado saí como se tivesse sido revivido ou reanimado pelos cultistas através do ritual, e castiga fervorosamente a cidade com bolas de fogo esverdeadas e ácido corrosivo. 

Nesse momento, os três soldados da Ordem (Johanna, Relgheim e Rust) aparecem, protegendo os poucos civis que ainda estão vivos e lutando contra os cultistas, dizendo que protegeriam o grupo se lutassem ao lado deles (isso tudo sem notar a identidade de Lessien e Hilde). O grupo escolhe ficar ao lado de Gamil, que oferece uma possibilidade de escapatória da cidade, transformando-se numa enorme águia de cor bronze que voa para longe. Os heróis então passam a ser considerados inimigos e traidores da Ordem.

Durante o vôo, Gamil é atacado pelo dragão negro não identificado, que o atinge com uma bola de fogo em sua asa esquerda, fazendo-o cair no Bosque de Marfim, junto com os heróis que estavam em suas costas paralisados pela dragofobia.

Transmitido em: 14 e 18/12/13

Assista o episódio aqui: Parte 1Parte 2 Parte 3

Confira o log aqui

Episódio 2 - Encontros e DesencontrosEdit

Resumo: O episódio retoma com os heróis Hilde, Lessien, ChromeBardus acordando ao lado do druida zahari, Gamil, no Bosque de Marfim após a queda da noite anterior. O grupo sofre com alguns ferimentos não letais no geral, como Bardus tossindo sangue, Hilde com um corte na barriga, Lessien com o nariz sangrando e Chrome com as pernas cheias de arranhões e cortes. Lessien toma frente e começa a cuidar primeiro de sua irmã com algumas bandagens e procedimentos básicos de socorros, para em seguida ir até Gamil que estava gravemente ferido. O zahari então agradece após Lessien fazer o mínimo que podia, mas ainda não o tirando totalmente do risco de morte, pedindo logo em seguida que os heróis seguissem para o norte do bosque em direção ao Templo do Jaguar, que segundo ele, era sua casa e também local de meditação, para que coletassem uma delicada flor conhecida como Tulipa Prateada.

A flor, por sua vez era conhecida de Lessien que consta que ela tem propriedades medicinais muito poderosas e costuma nascer numa área seleta da região. Os heróis decidem seguir para lá, deixando Gamil, que se transforma em um coelho de cor bronzeada, a salvo dentro de um tronco seco. 

Durante o caminho o grupo contempla as belezas do bosque, vendo estátuas largas cravadas e esquecidas pelo tempo em vários locais, mas mantendo-se na trilha que Gamil havia recomendado. Após um tempo de caminhada e conforme a iluminação ia caindo, Bardus nota que os heróis estavam sendo perseguidos por algumas criaturas nas sombras, graças a sua percepção avançada. Em um alerta, Bardus então coloca o grupo em estado de batalha, no que logo a ameaça se revelaria por ser um grupo de goblins (dois guerreiros e um arqueiro).

Num breve confronto, o grupo levou a melhor sem grandes perdas, com destaque para Hilde que mostrou extrema maestria ao proteger e eliminar duas criaturas com apenas um golpe. Com o fim da peleja, o grupo seguiu em frente pela floresta até chegar no Templo do Jaguar, uma espécie de local abandonado com altas estátuas feitas de mármore e outras pedras.

Com o primeiro olhar, eles se deparam com o templo totalmente em ruínas, em chamas e com vários resíduos esverdeados que se assemelham ao ácido do dragão negro que havia os atacado na noite anterior. Sem saber o que fazer, o grupo resolve buscar pela tulipa que Gamil havia dito, quando então Lessien encontra uma única restante e resolve pegá-la delicadamente.

Ao puxar a flor, três pilares de fogo se formam em volta de Lessien, revelando três cultistas sombrios que rapidamente esticam suas armas contra o corpo do mesmo, ficando refém dos malfeitores. Sem saber como reagir, os heróis não avançam pois qualquer movimento poderia custar a vida do irmão de Hilde, entretanto, quando um cultista resolve acabar com a vida de Lessien, ele abre sua boca e dá um forte grito que causa um impacto sonoro muito grande, jogando os cultistas para o alto e os aliados de Lessien para trás alguns metros.

O forte impacto foi o suficiente para desacordar os cultistas, que ficaram com um pulso muito fraco, eliminados de combate, assim. Hilde rapidamente corre até seu irmão e o abraça, e o mesmo começa a chorar em seguida como se não quisesse ter feito aquilo. Com a vitória, os quatro voltam para perto de Gamil e restauram sua saúde numa mistura da flor com outras ervas medicinais, permitindo que ele os levasse de volta para o Templo do Jaguar. 

Desolado e triste ao ver sua casa destruída, Gamil chora por alguns minutos, também vendo outros animais da floresta mortos e infectados com todos os tipos de doenças, e numa súplica final, pede que o grupo siga para a cidade ao norte dali, Feywall, onde deveriam espalhar a notícia do que havia acontecido no bosque e em Chama d'Oeste.

Os heróis então partem montados em cavalos selvagens pela floresta, saindo dali e indo em rumo de uma nova parte da aventura.

Transmitido em: 20/12/13

Assista o episódio aqui: Parte 1Parte 2 Parte 3

Confira o log aqui

Episódio 3 - Um novo destinoEdit

Resumo: O episódio começa com uma cena inicial no ano de 2013, mostrando o Instituto Sagas em São Paulo com Kazuya observando os sonhadores Lisa, Kriz, Eric, Pedro e Rubens, enquanto dormem ligados à máquinas que monitoram suas ondas cerebrais e sonhos. Kazuya fica pensativo e ponderando coisas sobre o assassinato do Dr. Sagas e por quê Karen Wolf estava sendo incriminada como suspeita.

Um tempo passa logo depois, e Kazuya explica os conceitos de alter-ego, sonhadores e os significados e possibilidades que eles teriam com suas visões e sonhos, se entrassem em uma forma de treinamento liderada por ele. O grupo aceita e então passa alguns meses treinando, chegando no ano de 2014 após as festividades. 

Logo em seguida, ainda no Instituto, os sonhadores estão descansando e esperando para começar mais um dia de treinamento / terapia e conversando entre si, quando ouvem Kazuya receber uma ligação de Albert Quisling e ficar claramente incomodado / irritado com algum aviso que parecia envolver terminar projetos antigos iniciados pelo Dr. Sagas. Kazuya se aproxima de um grupo paralelo de sonhadores e os dispensa, dizendo que o projeto deles ficaria em hiato por tempo indefinido e isso de certa forma alarma os sonhadores centrais dessa história.

Voltando para o ano de 6002, Kraashi e Sorin acordam num acampamento dentro do Bosque de Marfim e logo são surpreendidos por uma elfa chamada Lwynneth Dlamarin que diz ter os encontrado após uma grande explosão durante a noite passada. Ela reforça que não costuma fazer isso mas que ficou intrigada após ver um dragão negro voando para longe dali e os dois feridos e sozinhos. Os dois agradecem os cuidados de Lwynneth e se alimentam por ali, conversando com ela e comentando que haviam mais pessoas com eles e que não sabiam onde estavam. A elfa decide ajudá-los a sair da floresta e a levá-los à um ponto seguro, ao menos, uma vez que estavam recém-feridos.

O trio eventualmente encontra Gamil, que já havia dispensado Lessien, Hilde, Bardus e Chrome em direção de Feywall, e ele explica novamente o que havia acontecido ali (ataque dos cultistas e o dragão indo para o norte) e pede para que esses também o ajudassem. O trio concorda e segue viagem montados em cavalos concedidos pelo druida em direção aos Campos Serenos.

Pouco depois o trio se reencontra com os outros que estavam fazendo uma breve parada após a travessia de um rio, para comerem e descansarem. Lwynneth se apresenta, Kraashi e Sorin também explicam o que aconteceu e pra onde estavam indo e então o grupo resolve se unir pelo mesmo objetivo. Enquanto se alimentavam, Bardus e Kraashi resolvem caçar frangos selvagens e são bem sucedidos nisso, permitindo que Lessien cozinhasse para eles.

O grupo avança pelos Campos Serenos cavalgando com calma e tranquilidade, passando por algumas horas de viagem então. Eventualmente encontram uma diminuta kalkan chamada Pigli, que estava visivelmente ferida e sangrando com um crysoceros morto em frente à si. Ela relata que fora atacada por Cultistas que haviam levado seu irmão para fazê-lo de escravo em uma cruzada insana e não sabe como ela mesma havia sobrevivido. Os heróis decidem ajudá-la e levam consigo pela viagem, embora Lwynneth desconfiasse das reais intenções da kalkan.

Após algumas horas de viagem, Pigli salta em direção de um bosque afirmando que havia visto os cultistas e desaparece. Lessien, Hilde, Bardus e Chrome seguem-a enquanto Sorin, Kraashi e Lwynneth ficam ali esperando não confiando nisso. Os heróis então são surpreendidos dentro do bosque quando Pigli os trai, entregando-os para cultistas que aparecem num piscar de olhos e recompensam a kalkan com moedas de ouro. A mesma foge e não é mais vista desde então.

Finalizando a luta com rapidez, o grupo sai vitorioso e encontram um tipo de pergaminho escrito em lingua draconiana que Kraashi lê com dificuldades devido ao tipo de escrita e símbolos alí inseridos. A mensagem falava algo sobre o dragão negro e os Arcanos Maiores, mas a mensagem não pode ser compreendida em sua totalidade. Os heróis então seguem viagem e chegam no Posto de Vigia Markheim.

Enquanto ficam ali, buscam por vestígios de Pigli e também por formas de reabastecerem seus suprimentos e equipamentos. Pouco depois eles decidem atravessar o posto e pagar a taxa para irem até o outro lado, só que são surpreendidos por templários da Ordem que os circundam por ambos os lados e trancam o posto, acusando-os de serem traidores e Hilde e Lessien procurados pelos mesmos.

Enjaulados e presos, o grupo é levado para uma locomotiva nas bordas de uma montanha próxima e então seguem viagem, desarmados e sem seus equipamentos. Numa tentativa de escapatória da jaula e sem estarem sob vigia dos templários, Sorin faz um alicate de sangue e quebra parte das barras de sua jaula, libertando-se. Ao mesmo tempo, Chrome usa seu canhão e explode metade do vagão junto com as jaulas onde estavam, libertando todos para que pudessem pegar seus pertences e iniciando um conflito contra os templários.

Numa cena final, é mostrada as terras distantes de Askhalot, onde cultistas se reúnem sob o comando de um homem misterioso que pergunta sobre o dragão negro e o ataque em Chama d'Oeste e ordena que os seus servos organizem novamente uma empreitada para conseguir "receptáculos vazios" para seus aliados sombrios, e que em breve, ele teria sua vingança contra o Oráculo.

Transmitido em: 11/01/2014

Assista o episódio aqui: Link

Confira o log aqui

Episódio 4 - Sob as terras da destruiçãoEdit

Resumo: A cena inicial mostra os heróis Hilde, Chrome, Sorin, Bardus, Lessien, Lwynneth e Kraashi ainda em cima do trem que haviam sido colocados pelos templários da Ordem. Após se libertarem, eles notam que estão cercados por um oceano de águas negras abaixo dos trilhos e que eles vão em direção de uma parede na montanha, onde olhos vermelhos os observam e dragões vermelhos sobrevoam o pico. Confusos e desorientados, eles batem na parede de montanha e acordam, no que parecia ser uma visão profética momentânea e compartilhada pelos sete.

Logo em seguida, eles continuam lutando contra os templários, agora de volta para a realidade do mesmos e notam que Rust continua ordenando ataques. O grupo vai vencendo confronto após confronto, mas em certo momento o vagão deles é desenganchado pelo maquinista, que desvia a rota dos trilhos para uma alternativa que descia a montanha. Os templários riem enquanto se separam do grupo, indo em frente pelos trilhos. 

Pouco tempo depois, os heróis se vêem num dilema: o vagão onde estavam foi desviado para um caminho em construção e logo eles se chocariam contra uma parede montanhosa que certamente causaria a morte deles. Num ato de desespero, o grupo salta do vagão e rola montanha abaixo, ganhando alguns ferimentos e ficando desacordados.Novamente, durante um sonho compartilhado, o grupo avista uma silhueta de um homem alto com profundos olhos vermelhos que os ameaçam de forma imponente. 

Eles então acordam no dia seguinte, notando que estão em uma área totalmente nova conhecida como o Pântano de Carvão. Cansados e abatidos, os heróis resolvem se agrupar e descansar, aproveitando também para alimentarem-se e conversar um pouco sobre o ocorrido até o momento.

Minutos depois e já preparados para continuarem em busca de Feywall, Bardus toma a liderança junto de Hilde e vai guiando os outros, embora algum tempo depois Lessien notaria e explicaria para o grupo que estavam andando em círculos por conta das árvores de pedra do local, que se movimentavam lentamente e moldavam o cenário para cansar o grupo (na esperança deles morrerem, e se alimentarem dos corpos).

Sem saber como proceder, os heróis são atacados por um imenso vento que quase os desestabilizam por completo e causa alguns danos menores temporários. Com isso, a viagem continua até o momento em que eles se deparam com um dilema: um homem chamado Shraik, está pendurado em uma árvore com lanças de metal apontadas para sua cabeça e um menino humano apontando um arco e flecha contra o mesmo. 

O grupo tenta entender o que estava acontecendo, embora alguns não quisessem se envolver nisso. O menino então explica que Shraik havia roubado cerca de 500 gramas de carne de um boi que ele havia caçado e abatido, sem sua permissão. A carcaça do boi estava entre os dois, já em decomposição e sem muita carne comestível. O garoto diz que a única justiça a ser feita seria matar Shraik, pois era assim que ele havia aprendido que as coisas funcionavam.

Hilde e os outros tentam acalmar o garoto e influenciá-lo a desistir da idéia, uma vez que Shraik diz que não sabia que a carne era dele e que havia encontrado o animal abatido durante sua jornada. O garoto eventualmente cede e vai embora, libertando Shraik com a condição de que os heróis levariam-no para uma penitenciária assim que possível.

Shraik agradece o grupo quando é libertado e todos notam que na distância do horizonte o garoto derrete e se desfaz numa sombra macabra que sobe aos céus, sumindo num grito atormentador. Shraik explica que suas desconfianças estavam certas: o garoto era um Espírito Trapaceiro em busca de vítimas. Surpresos pela quantidade de coisas tentando matá-los, o grupo resolve seguir com Shraik ainda amarrado.

Tempos depois, as nuvens em formato de roldanas e relógios começam a se mover de forma desordenada, acelerando o dia, tornando noite mais rapidamente e em seguida fazendo o dia nascer - tudo em fração de segundos. O tempo continua insano na medida que começa a chover, nevar, ventar, ficar noite, dia, entardecer, amanhecer, tudo ao mesmo tempo. Os heróis começam a ser afetados por um estranho efeito temporal que os evenlhece mais rápido e pouco depois os revujenesce mais rápido. Confusos e perdidos eles tentam lutar contra esses efeitos até conseguirem sair da área de efeito.

Por fim, os heróis encontram-se com uma criatura enorme que emerge do chão, o Bleak Colossus, que então começa um confronto contra os mesmos, conjurando Elementais Pequenos de Terra para ajudá-lo no confronto.

O combate dura alguns momentos e o colossus não parecia ser atingido por nada, exceto por alguns círculos de magia estrategicamente colocados em seu corpo. Num ataque direto e final, Lessien acerta a criatura com um único golpe na cabeça, rapidamente entregando o golpe fatal em sua saúde, derrotando-o.

Numa cena final, o Bastião Arcano é visto e naves descem dali enquanto observam Cultistas Sombrios atacando os magos da torre. Dali, Odaik Flameseeker desce de uma das naves olhando de forma imponente.

Transmitido em: 1801/2014

Assista o episódio aqui: Parte 1Parte 2Parte 3

Confira o log aqui

Episódio 5 - Heróis do PassadoEdit

Resumo: O episódio começa com o grupo ajudando Chrome e Kraashi que estavam gravemente feridos das últimas lutas. Quando estabilizados, seguem em direção da próxima parada na viagem: o Bastião Arcano.

Enquanto isso, uma cena mostra naves chegando nas proximidades do bastião, onde diversos tecnomagos saem de dentro e avançam pra dar backup a um aparente confronto entre os residentes do bastião contra cultistas sombrios. Em seguida, o herói Odaik Flameseeker sai dali e é guiado por seu mentor, Ykel Reese para ir em direção do confronto e ajudar os magos nessa hora difícil. Num contexto prévio, a guilda dos tecnomagos (cujo Odaik e Ykel pertencem) foi chamada para ajudar os residentes do bastião frente à essa crise.

Algum tempo depois, o grupo de heróis (HildeChromeSorinBardusLessienLwynnethKraashi e Shraik) chegam no bastião e ali são recebidos por Odaik que introduz-se como aliado de Gamil, por estar esperando-os. Durante algum tempo, o grupo tira momentos para se curarem, comprarem itens e equipamentos até se reunirem no centro novamente, onde decidiriam subir até o topo da torre para ajudar o Alto Arconte. Lwynneth resolve ficar com Shraik para que ele não escapasse das amarras que o grupo havia feito anteriormente, e então ficam no primeiro andar.

O grupo então sobe pelos andares, passando por diversos desafios, batalhas e caminhos para escolherem, até chegarem no penúltimo andar onde resolvem um puzzle. Por fim, chegam ao último andar, ouvindo um rugido de dragão.

No 8o e último andar, os heróis se deparam com vários cultistas e draconianos que observavam enquanto o líder deles, Drakkius, tentava extrair informações do Alto Arconte Tebrok. Rapidamente ele nota a presença do grupo e vira-se para eles, iniciando uma conversa. Dentro das explicações pro ataque, Drakkius revela que o objetivo dos cultistas era extrair a energia vital e mágica do Alto Arconte e inserí-las numa poção mágica que restauraria por completa a força de Ashkore, o mítico dragão negro que atacou Chama d'Oeste dias atrás.

Em seguida, Drakkius ergue um de seus braços e com uma rápida aparição, um enorme dragão negro surge no topo da torre, intimidando os heróis. Uma decisão então é necessária: lutar contra Drakkius que não deixaria os heróis saírem com vida dali ou enfrentar um dragão negro por si mesmos? O grupo escolhe deixar Odaik e Ykel lutando contra o dragão enquanto o resto tentaria impedir Drakkius de extrair a vida do arconte.

O confronto contra Drakkius é rápido e mortal: todos os heróis são eliminados rapidamente e sem causarem grandes danos à ele. Enquanto isso, Odaik e Ykel sofrem na luta contra o dragão, e eventualmente começam a perder. Num movimento desesperado, Odaik tenta salvar o arconte teleportando-se ao lado dele mas, Drakkius o intercepta e quase o mata com uma magia fatal.

O "quase" é proporcionado pela aparição de Soran, o quinto arcano dos Arcanos Maiores. Ele previne que Odaik seja morto por dizer que ele ainda tinha um "destino a cumprir" e revitaliza os heróis caídos, pedindo para que eles canalizassem suas forças em um ataque conjunto para que ele os ampliasse e pudesse banir Drakkius e o dragão para longe. Os heróis fazem isso e rapidamente caem exaustos no chão, dormindo, enquanto Drakkius desaparece pela magia de Soran.

Entretanto, Odaik ainda se mantém acordado e tem uma breve conversa com o Arcano que pede para que ele levasse o grupo até Feywall, onde algo maior os esperava. Odaik aceita o fardo e quando repara, Soran não estava mais lá com ele. Pouco depois, Ykel e Tebrok vão acordando e não se lembram de nada do que aconteceu, achando que fora Odaik que havia salvo à todos alí naquele momento. O Arconte oferece então para que Odaik passasse por um rigoroso treinamento nas torres de magia para tornar-se o novo arconte do bastião, mas ele recusa depois de pensar um pouco e resolve dedicar seus próximos dias à estudos particulares e missões (estudos esses que envolviam clonagem e conhecimentos sobre genética adquiridos durante a passagem dos desafios no bastião).

Por fim, Odaik e Ykel voltam para a nave da guilda dos tecnomagos, levando os heróis consigo em direção de Feywall.

Transmitido em: 01/02/2014

Assista o episódio aqui: Parte 1 Parte 2

Confira o log aqui

Episódio 6 - AdeusEdit

Resumo: A cena inicial dá-se com o Oráculo dos Arcanos Maiores tendo um tipo de visão com uma influência / energia negra atravessando dois mundos muito similares e conectando esses universos, culminando numa grande explosão. Ao acordar da visão, o Oráculo conversa com Soran que relata os eventos do Bastião Arcano para ele. Logo em seguida o Oráculo ordena que todos os Arcanos Maiores fossem para Feywall pois algo estava para acontecer.

Os heróis acordam no dia seguinte após os eventos do Bastião Arcano numa taverna conhecida como "O Basilisco Bêbado", localizada em Feywall. Ali, comem, bebem e se preparam para as aventuras que os esperam em busca do Circulo dos Onze. Em seguida, decidem partir da taverna e começar as buscas no dia chuvoso, mas antes, Lwynneth pergunta o que o grupo faria Shraik frente a decisão passada que o levariam para a prisão.

Shraik então explica sua história, dizendo que era originário da região do Desert of Steel e ele e sua família haviam sofrido com uma guerra civil local, que havia matado a mulher e filho de Shraik, deixando-o vivo com uma filha restante. Entretanto, Shraik diz que sua filha fora amaldiçoada por um hematologista com uma doença terrível, e a cura só poderia ser sintetizada através de ingredientes espalhados por toda Grey Avalon. Comovidos pela história, o grupo faz uma votação e então decidem libertar Shraik para que ele seguisse seu destino. Antes de ir embora, Shraik dá um presente à eles e concede acesso as lendárias Karot Cards.

Após isso, o grupo se divide e começam a fazer buscas pessoais pela cidade. Sorin volta a taverna e encontra com um antigo colega de trabalho de seu pai, Sarriz Espadanegra, que fala mais sobre o paradeiro do pai de Sorin. Ao que tudo indicava, Houndaer (pai de Sorin) havia estado em Feywall há 2 semanas atrás em busca de dinheiro para continuar sua jornada ao norte em busca de algo que não revelou.

Paralelo à isso, Bardus conversa com uma velhinha que fala sobre uma besta feroz que castigava Feywall durante a noite, matando pessoas...e ele se interessa por isso. Hilde, Sorin, Kraashi e Lessien visitam lojas enquanto isso. Por fim, o grupo avança em direção ao Palácio de Feywall, em busca do círculo dos onze.

Quando o grupo chega próximo da entrada do palácio, esbarram com um garoto de 17 anos meio desajeitado e tímido, era Doppel. Ele pede desculpas e segue seu caminho. A seguir os heróis são guiados por guardas do palácio para uma audiência com o círculo dos onze. Durante a estadia e conversa com os onze conselheiros, o grupo explica os fatos que ocorreram desde Chama d'Oeste até os eventos do Bastião Arcano.

Descrentes em alguns fatos, os conselheiros revelam-se serem aliados da Ordem , e por um pedido de Rust e outros comandantes da organização, que haviam dito que os heróis eram traidores (referindo-se aos eventos de Chama d'Oeste onde o grupo optou por não ajudar os templários), os heróis acabam sendo presos e jogados no calabouço do palácio.

Enquanto presos, os heróis foram privados de suas armas, equipamentos, pertences e até mesmo de usar suas habilidades, através de uma coleira tecnológica que explodiria as cabeças dos mesmos se reagissem. Enfim o tempo passa, e algumas horas depois, Rust vem até o calabouço levando Hilde e Lessien com ele, como se fossem reféns de algo que não sabiam o que realmente era.

Enquanto isso, uma cena mostra Doppel conversando com um rato de rua que ele havia pego, uma espécie de alucinação (pois as outras pessoas apenas viam o rato esperneando e gritando, mas Doppel realmente ouvia uma voz vinda do rato). O rato então diz para Doppel achar receptáculos para os Dahakins que estavam na cidade e o garoto concorda, dizendo que já tinha uma idéia de quem ele poderia pegar (lembrando dos heróis mais cedo).

Momentos depois, Rust e Lessien se confrontam num duelo 1x1 enquanto Hilde assistia presa pelos templários. Isso ocorre pois Rust revela ser um antigo inimigo dos tonerre, que havia ficado surdo por conta de um ataque de Lessien quando ele tinha 8 anos, antes de ser perseguido pela Ordem. Lessien achava que Rust estava morto, mas ele voltou por vingança. Removendo seu elmo e se revelando pela primeira vez, os dois começam um duelo mortal onde quase se matam.

Em certo momento, Hilde consegue fazer um dos templários derrubar uma faca e joga-a para Lessien acabar com Rust. Hesitante, Lessien escolhe por não matar Rust ou machucá-lo mais, mas isso acaba custando muito caro: o homem faz Lessien perder a consciência através de golpes brutais e Hilde é vítima da mesma logo em seguida.

Paralelamente, Doppel se infiltra no calabouço e permite que os Dahakins avancem na direção do grupo de heróis presos. Em poucos segundos, os heróis são facilmente dominados e possuídos pelos espíritos, permitindo que Doppel os libertassem em seguida para conseguir os receptáculos restantes. O grupo segue em direção da sala do Círculo dos Onze, para tentar possuir alguns deles, mas são interceptados por três dos Arcanos Maiores (Marin, Soran e Lorac) que exorcisam os espíritos num breve confronto e libertam os heróis.

Por fim, Rust e outros templários da Ordem tentavam levar Lessien e Hilde para fora da cidade (ainda desacordados) em cima de cavalos... só que durante o caminho, Feywall é atacada por milhares de cultistas e dragões negros, que explodem diversas construções e atacam os templários. No mesmo front de combate, o grupo de Chrome, Bardus, Sorin, Lwynneth e Kraashi luta contra essa invasão juntamente dos Arcanos Maiores.

Os heróis avistam Hilde e Lessien e tentam salvá-los, mas é nesse momento em que Ashkore desce dos céus causando um impacto colossal que rompe a cidade no meio numa enorme fissura que engole diversos soldados. O profundo impacto foi mais grave do que esperado: Hilde e Rust estavam pendurados em uma borda, à beira da morte eminente enquanto Lessien estava recobrando a consciência, extremamente ferido. Os outros heróis estavam do outro lado da fissura, incapazes de agir ou ajudá-los de alguma forma.

Hilde então se despede, sentindo o peso de Rust puxá-la para baixo e diz para Lessien ser forte e não deixar ninguém se aproveitar dele, tentando encorajá-lo a não desistir de nada. Hilde então cai no abismo com Rust, ambos desaparecem na profunda escuridão.

Lessien grita com força e expele sua dor pelo campo de batalha, chorando em seguida e ficando desamparado. Ao mesmo tempo, os heróis do outro grupo estão em confronto constante, mais violento e visceral que o comum: isso culmina em Chrome perdendo a parte inferior do seu corpo por cultistas que o danificam de forma pesada, enquanto Bardus lutava com uma misteriosa criatura alta e larga.

Lentamente, o campo de batalha vai ficando ao longe, mostrando a falta de esperança frente a morte de Hilde e os danos irreparáveis causados com isso. Mas esse não era o fim....

Transmitido em: 08/02/2014

Assista o episódio aqui: Parte 1 Parte 2

Confira o log aqui

Episódio 7 - Um mundo quebradoEdit

Resumo: O episódio começa na dimensão real, em 2014. O foco se dá no Instituto Sagas de São Paulo, onde Kazuya conversa com uma enfermeira enquanto os sonhadores Eric, Pedro, Rubens e Kriz observam de fundo a cena toda: Lisa numa cama, em coma por tempo indeterminado. Kazuya não sabe se ela conseguirá voltar e explica a relação do coma e os sonhadores.

Mais tarde os sonhadores são convocados por Kazuya para irem em uma missão investigativa a cerca de problemas com sonhadores recentes: pessoas que se tornaram zumbis (em questão de perderem a capacidade cognitiva ou mesmo emocional), sombras estranhas que parecem vivas e outras coisas na zona oeste da cidade. O grupo decide ir, com a esperança de que descobrirão algo para ajudar Lisa.

Durante a investigação, Eric, Pedro, Rubens e Kriz vão em direção de uma hospedaria que encontram no lugar onde o taxi pago por Kazuya os deixa. Ali investigam sobre uma mulher chinesa que parecia encaixar nos mesmos sintomas descritos por Kazuya anteriormente, e então eles se dividem para distrair o dono da hospedaria enquanto outros falariam com ela. Entretanto, a mulher parecia estar possuída por uma sombra viva e começa a atacar o grupo até ser nocauteada pelos mesmos.

O grupo deixa o local, fugindo rapidamente e seguindo as sombras que sairam da cabeça da mulher chinesa, que se esgueiram pelos becos. Eventualmente os sonhadores chegam num tipo de porão em um beco e encontram o centro de tudo: um emaranhado de teias feitas dessas criaturas de sombras se une num único órgão vivo, enquanto um homem misterios é segurado e preso no alto da sala em X com os pés e braços esticados por correntes. Em baixo do homem há uma espécie de portal mágico, que surpreende o grupo e que parece soltar mais das criaturas de sombra dali de dentro com o tempo. Hesitantes, o grupo não ajuda o homem e fogem dali, embora ele suplicasse por ajuda.

A cena então muda para a dimensão fantástica, no ano de 6002. Cerca de 7 meses se passaram desde os eventos da Batalha por Feywall. Os heróis Lessien, Kraashi, Sorin, Bardus e Chrome são chamados novamente por Gamil numa reunião no centro do Bosque de Marfim, para debaterem a cerca de assuntos importantes que envolvem o Culto dos Condenados e os eventos passados que os separaram por tanto tempo. Eventualmente, cada um dos heróis foi chegando na noite da reunião no meio da floresta, enquanto Gamil providenciava comida e bebida para seus convidados, em um ambiente natural.

Lessien apareceu com um novo aliado: Kouryuu, que permaneceu calado na maior parte do tempo. Nessa noite, Gamil explica que através de um artefato conhecido como a Alma da Floresta (que ele havia recuperado nesse mesmo bosque), ele pode detectar forças e movimentação do culto ao norte de Grey Avalon, em direção de um local conhecido como Catedral Fulgurante, nas Terras Ermas. Gamil não sabe exatamente porque os cultistas foram para lá, mas ele sabe que esse é um ponto estratégico assim como o Bastião Arcano e como tal, precisa ser preservado. 

Os heróis ficam hesitantes e não querem se envolver de novo em algo tão perigoso e doloroso assim, mas eventualmente são convencidos por Gamil e partem durante a noite montados em pégasos em direção das Terras Ermas, com o objetivo de chegar na Catedral Fulgurante e impedir que os cultistas avancem ou dêem um banho de sangue similar ao de Chama d'Oeste. Antes de partirem, o grupo recebe uma carta de Odaik Flameseeker, pedindo para que eles procurassem um certo elementalista na cidade em ruínas de Askhalot, pois ele poderia ajudá-los a chegar no destino desejado, além de ser um aliado confiável.

Depois de uma noite de sono voando nas costas dos pégasos, o grupo acorda nas Terras Ermas, deixados pelas criaturas aladas com a explicação de que eles estavam em seus limites e não poderiam avançar mais. O grupo então se prepara e segue em direção ao norte, chegando na Ravina Ígnea, onde lutam contra o calor, a sede e a fome, além de eventualmente serem atacados por uma espécie de tsunami de lava. Eles conseguem "surfar" em cima de plataformas de pedra na lava, e chegam em uma espécie de rio de fogo onde uma criatura mística surge, desafiando-os para combate: Efreeti e seus lacaios: o Lodo Flamejante e três Elementais Pequenos de Fogo.

Transmitido em: 22/02/2014

Assista o episódio aqui: Parte 1 Parte 2

Confira o log aqui: Indisponível.

Episódio 8 - O elementalista de AskhalotEdit

Resumo: Após uma difícil luta, os heróis vencem o Efreeti e seus lacaios: o Lodo Flamejante e três Elementais Pequenos de Fogo. Eventualmente terminam exaustos e muito feridos, caindo inconscientes no chão escuro das Terras Ermas. O grupo, entretanto, é socorrido por um homem misterioso que mais tarde revela-se ser o elementalista Hagenn Yorick.

Hagenn cuida dos ferimentos e das necessidades do grupo, levando-os para um casebre próximo no meio do nada, enquanto eles contavam sobre o motivo de estarem ali (carta do Odaik, preocupações do druida Gamil, eventos passados, o Culto dos Condenados, etc). Hagenn se interessa e resolve ajudá-los, também comentando que Odaik era um velho amigo e que provavelmente o elementalista que os heróis procuravam, era ele.

Ainda no mesmo dia o grupo parte em direção de Askhalot, com o objetivo de atravessá-la e chegar ao Monte Reghar, onde encontrariam a Catedral Fulgurante. Todavia, Hagenn avisa que eles precisariam passar antes pela Cidadela de Fogo, um local enorme que estava no meio de Askhalot e que atualmente era infestada e controlada pelos cultistas. Durante o caminho, Hagenn conta sobre sua história brevemente e relata que foi pego como escravo pelo culto e forçado a trabalhar por quase 1 ano e meio, enquanto tentava descobrir os segredos de um artefato conhecido como o Codex Ígneo (que acabara sendo roubado dele pelo culto). 

Por fim, o grupo escolhe uma rota mais segura entre duas: ir pelas minas subterrâneas de Askhalot para ascenderem à cidadela, ao invés de ir direto nela pelos portões frontais. Numa cena final, Galtel Quisling aparece olhando para as entradas da cidadela, e caminha em frente.

Transmitido em: 08/03/2014

Assista o episódio aqui: Indisponível (razão: twitch deletou o episódio)

Confira o log aqui: Indisponível.

Episódio 9 - Dies IraeEdit

Resumo: Hagenn guia os heróis LessienKraashiSorinBardus e Chrome através dos túneis e minas que ficam na parte inferior de Askhalot, em direção da Cidadela de Fogo. Eventualmente o grupo chega lá, mas acabam precisando infiltrar-se nas defesas inimigas, através de estratégias furtivas e silenciosas. Embora essa empreitada não tenha tido 100% de sucesso, os heróis conseguem evitar a maior parte dos confrontos em suma.

Através do caminho, o grupo consegue libertar alguns escravos que ajudam na identificação da saída e melhores rotas, até que eventualmente alcançam um elevador que os leva direto para um andar superior da cidadela. Logo em seguida eles encontram um corredor metálico bem longo que acaba numa sala com um enorme portão fechado e sem fechadura ou formas de abrir. Entretanto, no centro da sala há uma estátua com o braço apoiado em cima de uma mesa, em posição como se esperasse por alguém. Bardus aceita o desafio e disputa uma queda de braço contra a estátua, vencendo-a e ativando o mecanismo de abertura dos portões, permitindo que o grupo siga adiante.

Na próxima área os heróis encontram três gateways que dão para áreas distintas da cidadela, sendo uma delas a sala do tesouro, onde os heróis configuram as runas do gateway com a ajuda de Sorin. Lá eles pegaram alguns itens e moedas, seguindo para a biblioteca da cidadela, onde Hagenn encontra o Codex Ígneo mas nota que ele está vazio, com seus conhecimentos já extraidos. Pouco tempo depois, o grupo é surpreendido por Rhaleen, um mercenário que trabalhava junto do grupo de aventureiros que Hagenn estava unido, antes de se tornar um escravo.

Durante uma breve negociação, Rhaleen explica que ele é agora um contratado pelo Culto dos Condenados, e está ali pra proteger a biblioteca e impedir que avancem mais. Numa tentativa de convencê-lo a mudar de idéia, o grupo cede aos pedidos de Rhaleen e pagam metade de suas riquezas para ele, convertendo-o como um aliado que agora trabalhava para os heróis.

Em seguida, o grupo ouve um tremor e Rhaleen explica que os cultistas pretendiam seguir para a Catedral Fulgurante executar um ataque total. Com o objetivo de impedí-los, os heróis avançam pela cidadela e resgatam Glom Pés de Pedra e Marauder, que também faziam parte dos mercenários aliados de Hagenn. O grupo então vê que os cultistas saem montados numa enorme máquina conhecida como Warmachine, construída pelo próprio Glom.

Dizendo que ela foi construída para matar dragões, Glom avisa que ele pode reconfigurar a máquina desde que os heróis seguissem os cultistas e dominassem a máquina. O grupo aceita e segue pelas Terras Ermas em alta velocidade, em uma disputa de tiros e manobras automobilísticas. Eventualmente os heróis conseguem ficar no topo da Warmachine, prestes a entrarem dentro dela para dominá-la, isso é, até quando um dos Arcanos Maiores aparece: Warren (A Força). 

Num furioso confronto, os heróis quase são mortos com facilidade pelo arcano, mas Hagenn então consegue notar que Warren estava dominado por um dos Dahakins e também estava dominando o poder do fogo que estava no Codex Ígneo. Numa tática arriscada, ele consegue recuperar o poder do codex e absorvê-lo para si, aumentando muito o seu potencial mágico e ganhando a dominação do elemento fogo.

Numa tática final, Hagenn voa para o céu envolvido por fogo e energias mágicas, levando Warren consigo para longe dos heróis, libertando-os de uma habilidade de dominação espectral e também removendo o Arcano de combate....Hagenn também desaparece no processo.

Transmitido em: 15/03/2014

Assista o episódio aqui: Indisponível (razão: twitch deletou o episódio)

Confira o log aqui: Indisponível.

Episódio 10 - O início da profeciaEdit

Resumo: A cena inicial mostra em algum lugar obscuro, 10 arcanos misteriosos sob o comando de um sujeito que só se referenciam como "O Chefe". Os arcanos, junto de Drakkius ouvem atentamente uma ordem do chefe: deveriam se espalhar pelo continente (e até mesmo pelo mundo) e irem em busca dos Amuletos dos Clãs, que eram os amuletos referentes aos clãs dracônicos maiores. Os arcanos então aceitam a missão e saem da sala, com o objetivo de conquistar os artefatos e trazerem para o chefe.

De forma misteriosa, a cena também mostra uma sombra pequena de pés peludos que ouve tudo e sai correndo pelos corredores escuros. Junto disso, outras duas sombras maiores a seguem sem que a mesma perceba.

Após o "sacrifício" de Hagenn, o grupo obtém a Warmachine e derrota os cultistas restantes que os perseguiam, chegando então na Catedral Fulgurante. Ali, o grupo é recebido por Xenoth, um arquielementalista responsável pelo lugar e seus estudantes. Numa breve discussão, o grupo explica que haviam impedido um ataque e que estavam ali para protegê-los dos ataques dos cultistas.

Xenoth recebe-os e permite que o grupo descanse na catedral até o dia seguinte, onde discutiriam melhor sobre assuntos do interesse deles. Durante a noite, uma sombra entra no quarto de Bardus e revela ser a poderosa criatura chamada Belfegor, que logo tenta assassiná-lo enquanto o Jorn dorme.

Bardus acorda com os ataques e tenta sobreviver e lutar com todas as suas forças contra a misteriosa criatura que parece atrelada ao seu passado, mas no fim é salvo por Lessien que ouve o barulho do confronto e ajuda seu companheiro de aventuras a se livrar do monstro, que cai pela janela do quarto e desaparece. Paralelo a isso, uma misteriosa névoa entra no quarto de Sorin e o afeta enquanto dorme, causando pesadelos terríveis e diversos. No fim, Sorin acorda em um momento crítico e não nota a névoa indo embora pela janela, deixando-o com a impressão que tudo aquilo não passava de uma noite ruim de sono.

No dia seguinte, o grupo se reúne Bardus, Kraashi e todos os outros conversam entre si, abrindo o jogo sobre o passado de Bardus a respeito do ataque da noite passada - é revelado que Belfegor é uma poderosa criatura que assassinou toda a tribo de Bardus, e num confronto inicial, fugiu após ambos ficarem gravemente feridos. Os heróis prometem ajudar Bardus em sua jornada, e então seguem para o salão principal da Catedral, onde conversariam com Xenoth.

Durante a conversa, o grupo descobre mais sobre as origens de Ashkore, onde Xenoth diz que Ashkore era um poderoso dragão negro que vivia num pântano no nordeste de Grey Avalon e que havia sido morto há vários anos atrás num grande conflito.  No fim da explicação, o Oráculo chega na catedral, dizendo que havia feito parte desse conflito, surpreendendo todos os presentes com a sua aparição repentina. Não somente ele, mas a kalkan Pigli também reaparece, ofegante e ferida, dizendo que tinha coisas importantes a revelar.

Descrentes com a traidora desde a última vez em que a viram, os heróis resolvem ouvir o que ela tinha pra dizer, antes de eliminá-la de vez. Pigli suplica por perdão e chora, revelando que tinha trabalhado pro culto nesse tempo todo como mercenária, mas que não sabia que eles planejavam uma dominação global. Pigli também explica que o culto havia mandado os arcanos com o objetivo de investigar e coletar os Amuletos dos Clãs.

Alarmado com a situação, o oráculo pede a localização dos amuletos para a Kalkan, que quando ia entregar um pergaminho com as informações, acaba sendo decapitada repentinamente pelos assassinos Kenzo e Iriz. Surpresos com a aparição dos dois desconhecidos, os heróis iniciam um confronto, sendo que Iriz se transforma numa criatura monstruosa e neutraliza os poderes do Oráculo, enquanto o grupo se divide entre salvá-lo e eliminar o outro assassino: Kenzo.

Transmitido em: 22/03/2014

Assista o episódio aqui: Parte 1 , Parte 2 , Parte 3 , Parte 4 e Parte 5 (Final)

Confira o log aqui

Episódio 11 - O azul de ChromeEdit

Resumo: O combate contra Kenzo e Iriz se inicia e o grupo se divide na esperança de tentarem segurar os dois oponentes o máximo possível. Eventualmente, o grupo sai vitorioso da batalha, que se mostra de certa forma difícil e que quase levou a morte de Kraashi (mas este, fora salvo por Bardus em um momento desespero).

Ao derrotar os dois assassinos, o grupo coleta o pergaminho que Pigli trazia sobre a localização dos Amuletos dos Clãs, e então o Oráculo explica a situação, dizendo que cada clã de dragão maior (Dragões vermelhos, azuis, brancos, negros e verdes) possuiam uma espécie de amuleto que representava sua essência e poder mais básico, e que esses amuletos geralmente ficavam sob a custódia de um guardião do clã. 

O Oráculo então pede o auxílio do grupo pra impedir que o Culto dos Condenados conseguisse esses amuletos, os heróis aceitam. Em seguida, Galtel Quisling aparece na sala onde o grupo estava, dizendo que se uniria a eles pois também tinha assuntos a resolver com os cultistas. Galtel e o Oráculo se entreolham por alguns segundos como se se conhecessem, então Galtel se une ao grupo depois de explicar um pouco sobre sua origem e motivações.

O grupo de heróis decide então ir em busca dos amuletos, baseado nas informações de localidades que o pergaminho indicava. Para ajudar, Glom chama através de um pequeno aparelho uma nave que também era uma de suas grandes criações - Sleipnir. A nave poderia levá-los a todos os lugares muito mais rapidamente, para então ganharem alguma vantagem sobre os cultistas dessa forma.

Com a chegada de Marauder que estava atrasado desde sua última aparição, o grupo parte pela Sleipnir em direção de Damaria, que segundo o Oráculo era o lugar com o amuleto mais próximo em questão. Auxiliados por Kouryuu, que também se reuniu com o grupo no último mento para ajudar quanto informações e táticas para lidar com os clãs de dragões, o grupo descobre que o amuleto que estavam buscando estava sob a posse de Warsilix, o campeão dos Dragões Azuis, e que seria necessário muito cuidado e estratégia para descobrir sua localização.

Numa cena breve, Belfegor aparece no fundo de Sleipnir, esperando o momento certo para agir novamente. O grupo então chega num ponto intermediário durante a viagem: Glamhein, uma cidade onde Glom e os outros pretendiam contratar operários e outros membros pra formarem a tripulação da nave. Os heróis resolvem gastar o tempo de seu dia cada um fazendo uma coisa diferente, mas o enfoque fica em Chrome que resolve ir à um mercado comprar suprimentos devido os pedidos de Glom.

Durante o caminho, Chrome é cercado por mafiosos que pedem para ele ir com eles pois tinham perguntas sobre o jovem. De forma ingênua e pacificamente, Chrome aceita e vai com o grupo achando que isso não levaria muito tempo (como eles prometeram).

O jovem droid então é desacordado por uma arma de choque e levado para um lugar desconhecido, onde ao acordar se depararia com outro droid também jovem - Omega. Esse, por sua vez diz que iria eliminar Chrome e tornar-se seu sucessor, enquanto o jovem ficava preso em cabos e cadeados impedindo que reagisse contra seu sequestrador.

Transmitido em: 29/03/2014

Assista o episódio aqui: Parte 1 e Parte 2 (Final)

Confira o log aqui: Em breve

Episódio 12 - Apenas um grão no desertoEdit

Resumo: O episódio começa com Omega perguntando para Chrome se ele imaginava quem ele era. Chrome responde que não sabia, estranhando toda a situação e querendo entender o motivo de ter sido capturado. Omega então explica sua origem - que ele era um droid criado pelo Dr. Abel, com o objetivo de ser uma cópia tão perfeita ou melhor que o próprio Chrome em seu aspecto de batalha e inteligência avançada.

Omega completa que aparentemente o projeto não deu certo para o Dr. Abel e ele foi descartado / destruído (em partes) como se fosse um protótipo defeituoso. Entretanto, o droid se reconstruiu após fugir com as poucas partes que lhe restavam e obteve vingança sobre o Dr. Abel, assassinando-o juntamente de todos aqueles que haviam o considerado como alguém defeituoso. Desde então, Omega viajou e procurou por Chrome, com a finalidade de extrair seus chips e ascender como o droid mais perfeito da existência.

Chrome parece reconhecer partes do discurso de seu inimigo, quando então é surpreendido pelo mesmo que remove o lifechip de Cream, a irmã de Chrome que vivia em sua memória. Os planos de Omega são interrompidos com a chegada de Bardus e Kraashi, que estavam procurando-o há algumas horas na região e acabaram chegando ali devido a grande presença de mafiosos que tentaram enganá-los.

Bardus e Kraashi salvam Chrome dos domínios de Omega, que desaparece dali através de uma bomba de fumaça, jurando vingança contra o droid e todos os seus aliados que o atrapalharam. Após isso, o grupo retorna à Sleipnir e o dia vira, sendo que pela manhã, Lessien, Bardus e Kraashi vão conversar com Chrome para ver se ele estava bem e tentar entender melhor o que havia acontecido.

Eventualmente os heróis chegam nas proximidades de Damaria, mas são avisados por rádio por um controlador de vôo da cidade que eles não poderiam entrar com a nave pois não havia espaço para eles estacionarem lá. O grupo então é forçado a se dividir e montar um acampamento no Deserto dos Deuses Caídos, onde a nave fica parada, enquanto Lessien, Bardus, Chrome, Sorin, Kraashi, Kouryuu e Galtel seguem em direção da cidade. Os outros aliados ficariam pela região tentando obter informações sobre Warsilix. Os heróis viajam pelo deserto durante algumas horas e em certo momento encontra um homem chamado Khalid sendo atacado por Gnolls. O homem, sem itens, roupas ou sequer uma arma pra se defender pede pela ajuda do grupo, que prontamente se mostram eficazes em derrotar alguns dos Gnolls e espantar os outros que restam. Agradecendo pela ajuda, Khalid diz que levará o grupo até Damaria, já que lá era sua casa e explica o porque dele estar ali - aparentemente havia sido sequestrado por algumas "pessoas ruins" e jogado no deserto para apodrecer.

Ao chegarem em Damaria, os heróis são levados para a Taverna do Lagarto das Areias, onde são recebidos com festa por terem ajudado Khalid, que aparentemente era alguém de importância na região. Logo em seguida, um velho aliado - Shraik, aparece para o grupo agradecendo pelo que fizeram e revelando que Khalid era um primo seu que havia desaparecido há algum tempo, deixando todos preocupados. Os heróis sentam-se, comendo e bebendo na taverna e conversando com Shraik sobre os eventos que passaram em todo esse tempo.

Shraik explica que sua filha foi curada graças a ajuda deles, pois se eles não o tivessem liberto, ele teria morrido junto com muitos outros prisioneiros no dia da Batalha por Feywall . Os heróis questionam Shraik então se ele sabia algo sobre o dragão azul Warsilix (ou dragões azuis em geral), e o mesmo responde que não sabia nada além de mitos e lendas, mas indica-os a visitarem o observatório da cidade, pois lá haviam diversos livros e informações sobre esse tipo de coisa.

Quando o grupo parte para o observatório, Shraik é questionado se ele não deveria recrutar os heróis para um confronto que aconteceria, o mesmo responde que não pois não queria importuná-los com conflitos que não eram os deles. Ao chegarem no observatório, os heróis encontram informações sobre Warsilix, Dragões Azuis no geral, a Névoa Solitária e também sobre Belfegor.

A lenda dizia que Warsilix havia morrido em um confronto após ser descoberto como aquele que manipulava as pessoas da região do deserto, seu covil havia sido interditado e seus ossos jogados ao fundo de um poço, que mais tarde daria origem a cidade de Damaria. Não comprando muito essa explicação, Kouryuu diz que Warsilix com toda certeza ainda estava vivo em algum lugar, mas não sabia onde.

Durante a pesquisa no observatório, os heróis são abordados pelo Sacerdote Sumah, que os recepciona por terem chegado em Damaria, além de ter ouvido falar sobre o salvamento de Khalid, o que rapidamente se espalhou pela cidade como fogo em palha. Sumah então convida o grupo para um jantar no palácio e revela que tem um pedido à eles, que mais tarde seria resumido em ir até um local conhecido como a Cripta dos Reis Bárbaros e resgatar o Cetro dos Reis, para que ele pudesse exercer maior proteção sobre a cidade e também executar um ritual que permitiria encontrar a localidade exata de Warsilix e seu amuleto.

Os heróis aceitam e então vão para o palácio, onde passam metade da noite descansando. Durante a noite, entretanto, o palácio é atacado pelas forças dos nobres da cidade (liderados por Shraik) com o objetivo de retirar o controle da cidade das mãos dos sacerdotes. Numa medida preventiva, Sumah manda acordar o grupo e manda-os já para uma caravana noturna em direção da cripta, para que a missão deles não fosse sabotada antes da hora.

Durante a fuga, a caravana do grupo é atingida por diversas sombras misteriosas, fazendo-os cair no deserto em um profundo canyon que logo se revelaria como a entrada da Cripta dos Reis Bárbaros.

Transmitido em: 05/04/2014

Assista o episódio aqui: Parte 1 , Parte 2 e Parte 3 (Final)

Confira o log aqui: Em breve

Episódio 13 - Show de FantochesEdit

Resumo: O grupo de heróis entra na Cripta dos Reis Bárbaros e logo de começo identificam três estátuas num hall central do local, representando três reis antigos. Ao observar mais cuidadosamente, Sorin diz ao grupo que a estátua do meio segurava duas armas que estavam desaparecidas dali, e que isso provavelmente funcionaria como uma chave para achar o Cetro dos Reis

Os heróis então notam que na cripta haviam dois corredores (um para esquerda e outro para a direita) e então escolhem ir para a direita primeira, em busca dessas peças que faltavam. Nesse caminho o grupo encontra uma sala com vários caixões e restos mortais de Jorns antigos, e uma urna em seu centro. Quando entram, o espírito de um dos trêis reis bárbaros aparece e amaldiçoa o grupo por estarem ali - confundindo-os com saqueadores e ladrões. O rei então conjura a força de espíritos que incorporam os esqueletos e restos mortais de seus antepassados, com o objetivo de proteger a cripta.

O grupo vence o confronto e destrói a urna, eliminando a influência do espírito do rei, e como recompensa acabam encontrando uma espada enorme de ouro puro que se revelou por ser uma das duas chaves do hall de entrada. Os heróis retornam para o hall, colocam a chave na estátua e seguem pela esquerda onde encontram uma escadaria que eventualmente leva à um tipo de salão de cerimônias.

Nesse salão, haviam várias cadeiras e um espelho no centro da parede norte, e em cima do espelho, uma frase: "An falsis iludat et metus ut", que é reconhecido pelos heróis como uma lingua esquecida no tempo que dizia "Aqueles que enfrentam seus medos, alcançam o outro lado". Kraashi tenta se aproximar e olhar diretamente no espelho, mas é assustado por um espírito protetor que afeta profundamente suas emoções, jogando-o pra trás de tanto medo e terror.

Bardus então resolve tentar encarar o desafio - o Jorn avança contra o espelho e observa-o profundamente, e o processo se repete: o espírito do espelho tenta assustar Bardus, que permanece estóico com uma expressão firme encarando-o. O espírito então puxa o jorn para o outro lado e numa espécie de plano do caos, ele obtém a segunda chave: um machado dourado.

Voltando ao hall de entrada, o grupo então coloca as duas chaves e logo em seguida o cetro dos reis se revela perante à eles. Entretanto, o cetro é rapidamente roubado por dois Arcanos Maiores que estavam possuídos por Dahakins: 13 e Hamdul, representando a morte e o enforcado, respectivamente. Os heróis travam uma batalha feroz e eventualmente conseguem nocautear os dois para longe da cripta, possibilitando que o grupo fugisse de volta para Damaria com o cetro.

Ao voltarem para Damaria, encontram o local totalmente tomado por uma guerra civil entre os nobres e os sacerdotes da região. Decididos em voltarem pro ponto de partida da jornada (o palácio), os heróis acabam encontrando o sacerdote Sumah e Shraik na sala do trono, onde Shraik pretendia matar o sacerdote. Numa breve tentativa de conversar e usar a diplomacia, os heróis tentam fazer com que Shraik não matasse Sumah, mas esse não dava o braço a torcer por não acreditar em outra forma de fazer justiça.

O grupo então fica entre duas escolhas: entregar o cetro para Sumah e permitir que ele cumpra o que prometeu (encontrar o amuleto dos dragões azuis) ou entregar o cetro para Shraik e permitir que ele assuma o trono da cidade, onde ele ajudaria mais tarde os heróis a descobrir mais sobre o amuleto. O grupo decide por Kouryuu fazer a escolha, uma vez que não estavam se entendendo e preferiam o julgamento dele.

Kouryuu escolhe ajudar Sumah, que executa o ritual e encontra o amuleto em baixo do palácio em túneis arenosos diversos, enquanto Shraik sai do palácio muito irritado com o grupo. Os heróis seguem pelos túneis e eventualmente chegam no covil de Warsilix, que se revela como um imponente e inteligente dragão azul, intimidando todos. Sumah revela que ele era um dos servos de Warsilix, que havia lhe prometido poder e influência sobre a cidade desde que o próprio dragão pudesse operar com suas decisões e Sumah fosse apenas um fantoche.

Paralelo a isso, vários draconianos azuis aparecem na sala para evitar que o grupo tente algo contra seu mestre, mas algo chama a atenção deles - todos os draconianos eram cegos propositalmente para não verem a identidade de seu mestre que não se revelava à eles diretamente... Isso demonstrava a lealdade e até onde iriam pelo dragão azul.

Warsilix pergunta ao grupo o que vieram fazer ali, e revela que estava observando-os há algum tempo já. O grupo revela a história por trás do Culto dos Condenados, os eventos que levaram a ressureição de Ashkore e também os planos que Pigli revelou antes de ser morta. Impressionado com as revelações, Warsilix diz que concederia o amuleto azul para o grupo desde que eles tornassem-o assessor dos dragões vermelhos e verdes (ou um deles somente), visto que tinha interesse em manipulá-los enquanto desfrutava de seus conhecimentos e terras.

O grupo aceita a proposta, hesitante, e Lessien convence Warsilix que iriam tentar fazer isso - mas que não garantiriam. Warsilix se vê compelido a aceitar os argumentos e a fala de Lessien por motivos que nem ele mesmo sabia (quando na verdade eram os efeitos da voz de Lessien). O grupo então pega o amuleto e sai do covil do dragão, voltando para a superfície de Damaria.

O que não sabiam, entretanto, é que desde o começo Warsilix estava manipulando-os: a voz que mandou a nave deles não ir para a cidade era uma ilusão auditiva criada pelo dragão, assim como a idéia implantada na mente de Shraik de que ele era descendente de um antigo rei de Damaria (tudo foi forjado com provas extremamente fiéis as originais, através de um de seus servos que era um historiador). Warsilix também manipulou os sacerdotes e os nobres pra culminarem a guerra civil e eliminar um dos lados (o que se provasse mais fraco) da jogada, enquanto dominava todos mesmo assim. Foi o poderoso dragão azul que também conveceu Sumah a pedir que o grupo recuperasse o cetro dos reis para que os poderes do próprio dragão se ampliassem sem que ninguém soubesse.

Sem saber de tudo isso, o grupo ainda sai com um amuleto falso dado por Warsilix propositalmente, com a função de espionar os planos e informações que o grupo iria vir a obter. Com a sensação de vitória, os heróis saem em direção da saída de Damaria para voltarem ao Sleipnir, mas são surpreendidos por templários da Ordem que tentam prendê-los a pedido de um dos nobres que soube da traição do grupo para com Shraik.

Surpresos duplamente, todos os templários são mortos em apenas um golpe, um golpe fatal causado por uma espada negra e vermelha....cujo a dona era ninguém menos que Hilde Tonerre.

Transmitido em: 12/04/2014

Assista o episódio aqui: Link

Confira o log aqui: Em breve

Episódio 14 - Cicatrizes do passadoEdit

Resumo: Os heróis se deparam com a aparição misteriosa de Hilde, cujo achavam que estava morta. Em uma conversa breve, Hilde não se demonstra amigável e na realidade parece estar bem mudada em comparação ao seu estado anterior. Estranhando a postura da irmã, Lessien tenta convencê-la a abandonar a idéia de lutar contra eles, mas ela não o escuta e começa mesmo assim. Após um intenso confronto onde Hilde quase mata seu irmão e seus amigos, o grupo consegue trazer de volta a consciência da guerreira para o seu corpo.

Kouryuu em um momento quase matou Hilde devido a fúria que sentiu ao ver Lessien machucado pela própria irmã, mas foi contido por Bardus, Chrome, Kraashi e Sorin. Após o término da luta, Hilde revela que a misteriosa espada que estava usando, a controlava mentalmente como uma voz de um espírito maligno que dizia para ela fazer coisas. Hilde também chora e recobra partes da memória, falando que cometeu graves assassinatos e agiu como uma máquina de guerra durante todo esse tempo em que esteve afastada - trabalhando para o Culto dos Condenados forçadamente.

Compreendendo melhor a situação dela, Lessien e os outros sugerem para que Hilde se desfaça da espada que a controlava, assim ela poderia ter sua consciência de volta e não sofrer mais pelos crimes que havia cometido, além de também não ter que escutar mas a voz ao fundo de sua mente. Hilde então recusa e explica que a espada era quem a mantinha viva, pois após a sua queda no abismo com a Batalha por Feywall, alguns cultistas e magos experimentaram o artefato nela - a espada amenizou os danos e a perda da vida de Hilde, em troca do espírito da espada controlar suas ações deliberadamente. 

Ainda sem entender, o grupo diz então para Hilde destruir a espada, agora que ela estava no controle e novamente ela recusa - uma forma de encantamento prendia seu espírito junto do espírito e vontade da espada, impedindo que eles se separassem. Tudo o que Hilde podia fazer, era ficar no controle pelo máximo de tempo que pudesse. Os heróis decidem ajudar Hilde a encontrar uma saída pra isso, e então acolhem ela de volta, retornando a Sleipnir.

Durante a estadia do grupo na Sleipnir, Hilde revela enquanto falava com Lessien e Bardus, que ela tinha visões sobre o que aconteceu durante o tempo em que ficou ausente - ela revela sobre uma estranha figura masculina que parecia controlar Ashkore e liderar o Culto dos Condenados, como uma espécie de líder, que eles apenas chamavam-o de "chefe". O oráculo ouve isso, enquanto estava pelos corredores, e então parece se preocupar momentaneamente, sumindo das vistas dos heróis. Quando perguntado mais tarde sobre o nervosismo, o Oráculo não responde abertamente, mas diz que ele havia matado Ashkore anos atrás e que talvez esteja começando a ter uma idéia do grau de perigo da situação toda, devido a revelação de Hilde,

Em outro ponto da nave, Doppel é visto dentro da cozinha, onde um cozinheiro dá ordens para ele e depois desaparece de cena. Doppel parece esta empregado na nave (uma vez que Glom parou em Glamhein para recrutar uma tripulação), e avista uma barata no local, pegando-a e começando a falar com ela. A barata parece agir similarmente ao rato de Feywall, dando ordens e falando de maneira impositiva sobre Doppel, comentando que ele deveria ficar atento pois havia uma pessoa "perigosa" a bordo, que ele deveria eliminar. Doppel acata as ordens do então "chefe" que ele se refere e quando menos percebe, Galtel Quisling estava atrás dele perguntando o que ele exatamente estava fazendo ali. Doppel esquiva das perguntas e volta a si, agindo de forma inocente e pacífica, desaparecendo da cozinha e deixando Galtel com suas dúvidas ali.

Mais tarde, durante a noite do mesmo dia, Hilde acorda sem sono e vai até a cozinha pegar um copo de água, onde encontra Sorin pensativo e isolado. Ali, os dois conversam brevemente, e em um momento onde sua consciência oscila, Hilde escreve em um papel "H-O-U-N-D-A-E-R" e entrega pra Sorin, logo depois voltando a si sem ter noção que havia feito isso. Sorin fica levemente desconfortável e questiona Hilde sobre isso, então ela revela que havia ouvido esse nome antes enquanto ainda estava possuída, como se o tal trabalhasse para os cultistas também. Sorin fica levemente perplexo e explica que esse era seu pai, numa tentativa de acalmar e amenizar a situação, Hilde diz que poderia ser outro Houndaer, e não o pai de Sorin.

O dia vira e o grupo chega ao seu destino: As Terras Ermas, retornando novamente ao lugar onde já estiveram anteriormente. Dessa vez, Kouryuu explica que eles teriam como alvo o guardião Ygdron, que repousava em baixo do Monte Reghar, guardando o amuleto dos dragões vermelhos. Kouryuu também diz que não seria uma tarefa fácil e por isso iria com eles, adicional, o grupo escolhe Rhaleen como outra companhia e então partem para o monte.

Ao chegarem na entrada do Monte, se surpreendem com um misterioso El'zel que usava um orbe para sugar uma espécie de névoa presente no local, e dois homens encapuzados. O el'zel então se revela como Houndaer, o pai de Sorin.

Transmitido em: 19/04/2014

Assista o episódio aqui: Indisponível (twitch deletou).

Confira o log aqui: Em breve

Episódio 15 - Através do fogo e das chamasEdit

Resumo: No início desse episódio o grupo se depara com os três homens misteriosos, sendo um deles Houndaer, pai de Sorin. Houndaer pede para que Sorin se afaste e abandonasse qualquer cruzada que tivesse contra o Culto dos Condenados, o avisando que ele eventualmente voltaria para casa, quando acabasse seu trabalho para a organização. Incrédulo, Sorin o questiona mais algumas vezes, mas seu pai não lhe dá atenção e desaparece, ordenando para que os dois homens se livrassem do grupo mas não machucassem seu filho.

Os dois encapuzados então se revelam como Terramai, o arcano maior da justiça e Zeletrios, o arcano do julgamento. Os dois começam um confronto com o grupo, mas rapidamente outras duas pessoas intervém no confronto - Grihmah, o arcano que representa o louco e Arya, o arcano do sol. Esses dois últimos, enviados pelo Oráculo para assegurarem que o grupo conseguiria chegar dentro do Monte Reghar, travam um conflito contra os dois arcanos possuídos por Dahakins e então o grupo tenta entrar na montanha por caminhos alternativos (já que a entrada central estava bloqueada devido a luta).

O grupo então enfrenta diversos desafios naturais para chegarem no interior do vulcão, e em certo momento são interceptados por Cavaleiros de Draconya, que circundam o grupo com o objetivo de levar Kraashi de volta para a cidade, onde aparentemente ele tinha um casamento pendente a comparecer. Kraashi recusa e por alguns momentos uma estranha aura o envolve, predizendo que uma grande força adormecida dentro dele poderia eclodir a qualquer momento. Os cavaleiros então deixam Kraashi ir, e desaparecem.

Eventualmente, já dentro do vulcão o grupo encontra Houndaer, que os alerta para não o perseguirem mais, e então o el'zel sabota as opções de caminho dos heróis, que eventualmente dá o seu jeito e acaba entrando mais fundo nos domínios montanhosos. Enquanto os heróis caminhavam e lutavam por seus caminhos, uma cena mostra Warsilix em seu covil trocando de lugar o amuleto falso com o amuleto verdadeiro, afirmando que agora eles de fato tinham provado que não eram meros ladrões em busca do amuleto - e concede esse voto de confiança para eles.

Mais a frente, os heróis chegam no covil de Ygdron, onde encontram um local banhado a ouro e riquezas, ficando deslumbrados com a visão. O grupo então avança pelo covil e tenta pegar o amuleto vermelho que estava encrustado numa parede simbólica, mas quando iam fazer isso, o amuleto é pego por Zeletrios e Terramai, que retornam e ameaçam o grupo sobre suas ações contra o culto.

Sentindo o barulho e as movimentações, Ygdron surge debaixo de uma cama de moedas de ouro e surpreende todos, rapidamente mostrando-se furioso contra os invasores de seu covil, tentando matar todos que via. Eventualmente o grupo se quebra em dois: Lessien usava do amuleto azul de Warsilix para criar uma ilusão que escondia todos os outros membros da sala, forçando Ygdron apenas a vê-lo em sua frente. O outro grupo englobava os outros heróis que lutavam bravamente contra Terramai e Zeletrios para recrobarem a posse do amuleto.

Enquanto isso tudo acontecia, uma última cena mostra Sleipnir, onde Galtel é visto sendo observado por um estranho. Estranhando a presença, Galtel tenta identificá-lo, mas não consegue devido a rapidez do indivíduo, e nem mesmo usando seus poderes para parar o tempo Galtel consegue achar o invasor. Notando que em seu relógio os minutos pareciam ser acelerados e pulados em intervalos pequenos, o poderoso mago do leste começa a se preocupar, quando então, um braço de um adulto oculto nas sombras perfura seu peito e atravessa-o, jogando Galtel mortalmente ferido contra o chão.

O mesmo indivíduo que então havia causado o ferimento em Galtel, vai até o fundo da nave e liberta Belfegor que estava preso numa jaula especial, acionando o alarme da nave.

Transmitido em: 26/04/2014

Assista o episódio aqui

Confira o log aqui: Em breve

Episódio 16 - Bem-vindo à selvaEdit

Resumo: O episódio abre com a cena focada em Lessien, que através de uma incrível força, começa a gritar e tentar convencer Ygdron a cooperar com os objetivos do grupo, e conceder o amuleto sem que exista alguma luta. Ygdron resiste fortemente e em certos momentos ataca Lessien e seus aliados, com explosões de fogo descontroladas. Eventualmente, a força da voz de Lessien faz tanta força contra Ygdron, Kouryuu e os outros membros da sala, que vários ferimentos aparecem em seus corpos, devido as ondas sonoras.

Ygdron eventualmente cede aos efeitos da voz de Lessien e concorda em dar o amuleto à eles e considerar a proposta de aceitar um assessor para si, mas ainda não sendo domado 100%, Ygdron ordena que o grupo saia de seu covil. Paralelamente, o grupo de heróis lutava contra Zeletrios e Terramai, sendo auxiliados por Rhaleen, que mantinha o segundo ocupado. O grupo eventualmente consegue vencer a força de Zeletrios e pegar o amuleto que estava sob sua posse. Feridos, cansados e atordoados pela voz de Lessien, o grupo deixa o local (enquanto os dois arcanos estavam inconscientes em seus lugares) e parte em direção da entrada do Monte Reghar. Numa cena final do covil, Ygdron caminha de volta para o seu leito e encontra Terramai acordado, e sem chance de escapatória, o arcano é devorado por inteiro pelo dragão vermelho, incluindo o espírito do Dahakin presente em si.

De volta a entrada do vulcão, o grupo encontra Houndaer em cima de um dragão negro, preparando-se para sair das Terras Ermas. O el'zel explica que ele estava trabalhando para o culto e que nenhum deles poderia pará-lo, e que por solidariedade ao seu filho, fingiria que não sabia que eles possuem o amuleto dos dragões vermelhos. Houndaer ainda diz que o Culto dos Condenados possuía o amuleto branco e negro, totalizando dois, enquanto os heróis também tinham dois e restava somente um para desempatar. Logo depois ele parte para o céu, deixando apenas mais questões e dúvidas para o grupo.

Ao retornarem para Sleipnir, o grupo encontra todos em estado de alerta, e Glom e o Oráculo explicam que Galtel estava mortalmente ferido e internado numa UTI dentro da nave, e que tudo isso tinha sido causado por Belfegor, que atacou a tripulação e fugiu logo depois, deixando o rastro de destruição. O grupo ajuda a reparar os danos e a socorrer os feridos, então um dia passa, e eles partem em direção ao último amuleto: o dos dragões verdes.

No dia seguinte o grupo é instruido por Kouryuu sobre os aspectos e características dos dragões verdes e ele diz que a guardiã desse amuleto se chamava Lyvox, e talvez fosse mais fácil de conseguir sua confiança (em comparação à Ygdron e Warsilix). Os heróis partem então para Alem-Muralha, em Elysium, que era onde Lyvox se encontrava.

Numa breve troca de realidade, a cena vai para o ano 2014, mostrando o Instituto Sagas de São Paulo. Semanas se passaram desde o último evento, quando o grupo encontrou um misterioso homem acorrentado e envolvido por gororos. Desde então, a incidência de sonhadores aumentou, e muitos deles tem desenvolvido poderes estranhos que se manifestam nessa realidade também, o que tem preocupado Kazuya e seus discípulos. Nesse tempo, Lisa Alves acordou de seu coma e também retornou a terapia, demonstrando tais poderes.

O grupo de sonhadores compostos por Eric, Kriz, Lisa, Rubens e Pedro agora tinham treinado seu potencial à um novo nível, sendo incluídos por Kazuya num grupo de operações e investigações especiais a respeito de sonhadores e manifestações sobrenaturais. Durante uma noite após a terapia, o grupo iria sair para jantar com Kazuya, mas ele aparece e revela que iria para o Rio de Janeiro investigar o mal súbito de Albert Quisling, além de também procurar mais informações sobre a morte do Dr. Sagas, uma vez que o caso envolvia o seu, o nome de Albert e até mesmo Karen Wolf como a principal suspeita.

Kazuya deixa os cuidados do Instituto para os sonhadores, e então desaparece. O grupo ainda assim sai para jantar nas redondezas e após o evento, voltam para o Instituto. Entretanto, no caminho eles são interceptados por três outros sonhadores, conhecidos como Daniel Krosher, Gary Treeman e Jin Hazekura.

De volta aos anos de 6002, o grupo de heróis chega em Alem-Muralha, e descem numa praia entre os limites de Grey Avalon e Elysium. Ali, procedem seguidos por Kouryuu e Rhaleen em busca do covil de Lyvox, e durante o caminho enfrentam diversas armadilhas naturais e desafios da floresta. O grupo é até mesmo perseguido por uma criatura conhecida como Kraken, que os cerca de baixo das águas de um lago e por alguns momentos quase mata-os, mas arranca o dedinho do pé esquerdo de Sorin.

Eventualmente, o grupo escapa da criatura e caem de volta na floresta cruel da Alem-Muralha. Numa cena final, vemos um sátiro conversando com Lyvox (que não se revela), e diz não se preocupar com os invasores, uma vez que a própria Alem-Muralha tomaria conta deles.

Transmitido em: 04/05/2014

Assista o episódio aqui: Parte 1 ,Parte 2 (Final)

Confira o log aqui: Em breve

Episódio 17 - Ataques de todos os ladosEdit

Resumo: Numa cena inicial de flashback os Cavaleiros de Draconya aparecem atrás de pedras e escombros, escondidos nas Terras Ermas enquanto a Sleipnir levanta vôo, após os heróis saírem do covil de Ygdron. Nesse momento, um dos cavaleiros dispara com uma arma de fogo uma espécie de rastreador contra a parte inferior da nave, sutilmente deixando o dispositivo ali.

De volta aos eventos atuais, o grupo chega em uma clareira após fugirem do Kraken, e ali encontram diversas frutas, flores e um local pacífico para descansarem. Levemente desconfiados sobre aquilo, o grupo resolve dar um voto de confiança e comer as frutas, lentamente caindo em um sono profundo que mais tarde revelaria todo o local como um depósito de esgoto e lixo, sendo as frutas apenas bolas de lixo acumuladas - e tudo formado por uma ilusão mágica.

Trocando de realidade, a cena avança para 2014, onde o grupo começa um confronto contra os três sonhadores Daniel KrosherGary Treeman e Jin Hazekura que, se denominavam "Filhos do Caos". Inicialmente os três sonhadores dão uma surra pesada no grupo, mas a situação muda quando Lisa Alves se concentra e tenta lembrar-se dos ensinamentos de Kazuya, conjurando então seu alter-ego em forma de uma representação astral com a aparência de dois irmãos, um menino e uma menina. Lisa então ganha acesso as habilidades físicas e mentais de Hilde, sendo capaz também de criar e manipular ondas sonoras de qualquer frequência e instância, usando isso contra os sonhadores inimigos.

Pouco a pouco, os outros também despertam seus alter-egos, onde Pedro é envolvido por um dragão cósmico de luz que deixa algumas tatuagens rúnicas sobre o seu corpo, garantindo super velocidade e a criação de clones por velocidade também. Kriz ganha a capacidade de super-força e super-resistência, se tornando uma espécie de máquina de guerra, onde seu alter-ego era representado por um urso polar com vários músculos e uma cicatriz em X no olho direito. Enquanto Eric fica de fundo na luta, não se manifestando, Rubens acorda seu alter-ego que se assemelha à um robô com tanques de oxigênio e cabos em suas costas, permitindo que ele copie até duas habilidades de outros alter-egos presentes.

O grupo então trava o confronto contra Daniel, que se teletransportava com extrema precisão, Gary que era capaz de manipular o vento e Jin, que possuia a força da invulnerabilidade. O duelo eventualmente termina, e os sonhadores do Instituto não matam seus inimigos, deixando-os apenas desacordados e presos sobre ferragens, para que a movimentação dos mesmos ficasse dificultada mais tarde. Entretanto, o grupo descobre um papel que continha o endereço e nomes deles, como se fosse uma espécie de "guia de instruções" para os três filhos do caos chegarem ali. Curiosamente, este mesmo papel era usado para consultas e diagnósticos do Instituto Sagas do Rio de Janeiro.

Em 6002, os heróis acordam após um longo sono e prosseguem com a viagem, sentindo asco e nojo por terem sido enganados e ingerido as frutas contaminadas. Eventualmente eles chegam em um caminho mais frio e intenso, onde a neve começa a surgir e o céu se abre sobre eles, até que encontram um guardião no fim do caminho, chamado Agreus. Agreus mostra à eles que uma aurora bloqueava os limites da floresta e eles não poderiam passar se não respondessem alguns enigmas, o grupo aceita e eventualmente vencem os desafios.

Agreus permite que eles passem adiante, e eventualmente o grupo chega ao covil de Lyvox. Lá, são recebidos pelo sátiro que tenta mandá-los embora, mas a própria Lyvox pede para que o grupo entre e então eles vão, descobrindo um lugar lindo e organizado dentro de um largo tronco de árvore. Por alguns momentos o grupo conversa com Lyvox e tentam ganhar a aliança da mesma, mas ela se recusa e pede em troca coisas como informações valiosas e até mesmo partes das almas dos heróis. Hilde e os outros se recusam a aceitar a proposta absurda da dragoa verde, e então quando iam embora, Lyvox concede o amuleto verde à eles, dizendo que eles já haviam "se provado". 

Embora não tenha gostado muito da idéia, Lyvox também aceita a "assessoria" de Warsilix, e o grupo cumpre seu acordo com o dragão azul, indo embora com o amuleto verde e sem entender muito porque Lyvox havia concedido o artefato assim. Numa cena onde o grupo não está presente, Lyvox revela ao sátiro que ela havia feito cópias dos corpos e almas dos heróis através de raízes e encantamentos naturais, sem que eles percebessem. Com isso, ela teria acesso as informações que eles recebessem, emoções, novos conhecimentos e também domínio sobre a força vital deles, caso resolvessem traí-la.

O grupo então retorna a Sleipnir e avança pelos céus, mas em uma cena final, eles são interceptados por uma nave que voa ao lado deles, criando uma espécie de ponte onde pessoas poderiam andar. A nave pertencia aos Cavaleiros de Draconya, e eles novamente requisitam que Kraashi se entregue para voltar com eles pra Draconya. Kraashi recusa mais uma vez, e então o grupo sobe no topo da nave para impedir a invasão, que de certa forma estava liderada pela própria futura-esposa do draconiano: Ranah Wyrzyk.

Enquanto isso acontecia, na parte de baixo da nave, Doppel vai até o cofre dos amuletos dos clãs e convence os guardas a irem ajudar na invasão, enquanto ele tomava conta de tudo. Nesse momento ele pega uma pomba morta de seu bolso e começa a conversar com o "chefe" através dela. Doppel recebe ordens de pegar os amuletos, e ele o faz, também conjurando dois dos arcanos maiores para lhe darem suporte (A Lua e o Imperador). 

Por fim, o Oráculo aparece no corredor e avista isso tudo, e conforme Doppel avança na penumbra da sala do cofre, ele se transforma em alguém maior e mais musculoso que parecia conhecer o Oráculo e vice-versa, mas a porta de segurança se fecha, separando-os e deixando o Oráculo de frente para os dois arcanos que o enfrentariam.

Transmitido em: 10/05/2014

Assista o episódio aqui

Confira o log aqui: Em breve

Ad blocker interference detected!


Wikia is a free-to-use site that makes money from advertising. We have a modified experience for viewers using ad blockers

Wikia is not accessible if you’ve made further modifications. Remove the custom ad blocker rule(s) and the page will load as expected.